Dermatite Atópica: O que é, sintomas, tratamentos.

Dermatite atópica

Você sabe o que é dermatite atópica? Ela é uma doença de pele e abaixo explicaremos em detalhes seu significado, os sintomas, como é feito o diagnóstico e também o tratamento. É possível se prevenir contra este problema? Confira!

dermatite atopica sao paulo

O que é dermatite atópica?

dermatite atopica explicacao

Como citamos acima, é uma doença de pele, um dos tipos mais comuns de dermatite. Também conhecida como eczema atópico, esta inflamação se caracteriza por erupções que coçam e formam crostas.

Este problema se localiza normalmente nas dobras dos braços e na parte de trás dos joelhos, além da face e do couro cabeludo. Acomete mais pessoas que já possuem asma ou rinite alérgica.

Psoríase é o mesmo que dermatite atópica?

psoriase dermatite

Não. Apesar de ambas serem inflamações de pele, elas atingem diferentes regiões do corpo. Além disso, a dermatite acomete as pessoas nas faixas etárias menores, em adultos jovens. Pode atingir pessoas de mais idade, mas não é tão comum.

Causas da inflamação

o ciclo da pele atopica

Não se sabe ao certo quais as causas desta dermatite, porém acredita-se que estejam ligadas à pele seca. Esta situação, combinada com irritações da derme e problemas imunológicos, pode desencadear o problema.

Porém, as causas da dermatite atópica também podem ser genéticas. O fator de predisposição neste caso são os problemas respiratórios (asma, bronquite, rinite). Contudo, esta manifestação é variável. Ou seja, não é porque uma pessoa sofre com estes problemas que ela terá dermatite.

Do mesmo modo, pessoas que não têm problemas respiratórios podem ser acometidas por ela. Porém, é relevante para o diagnóstico da doença informar ao médico a presença de alergias respiratórias (própria ou em familiares).

Quais são os fatores de risco?

causas de eczema dermatite atopica

Os fatores de risco para a dermatite atópica costumam ser associados aos problemas citados acima.

– alergia a pólen, mofo ou pelos de animais;

– contato com materiais ásperos;

– pele seca;

– exposição a irritantes ambientais (umidade, transpiração, temperaturas extremas);

– contato frequente com água;

– fragrâncias ou corantes presentes em produtos de higiene e limpeza;

– estresse.

Sintomas de dermatite atópica

Como perceber esta doença em nossa pele? O que acontece nela para que a procura pelo médico se justifique?

– pele muito seca, apresentando lesões com secreção;

– sangramento na orelha, com ou sem secreção;

– coceira que gera esfolamento na região;

– alterações no tom de pele (escurecer ou clarear);

– vermelhidão;

– inflamação ao redor das bolhas;

– áreas do corpo mais espessas, com aspecto de couro.

A ajuda médica é necessária quando você perceber um ou mais destes sintomas abaixo. É importante buscar auxílio profissional especialmente se:

– o desconforto causado pelos sintomas prejudicar o sono ou o andamento da rotina;

– você sentir dores nas regiões afetadas;

– houver suspeita de inflamação (vermelhidão, lesões, secreção).

O que informar ao médico?

 Ao procurar o especialista, você poderá dizer a ele algumas frases que o auxiliarão no diagnóstico de dermatite atópica. Informe há quanto tempo você percebe os sintomas; qual a intensidade e a frequência destes; se alguém da sua família ou mesmo você possui problemas alérgicos; e também sobre o uso de produtos cosméticos. Diga estas informações da forma mais completa possível.

Não espere o dermatologista perguntar. Se, ao ler este texto, você desconfiar que possua dermatite, procure levar as respostas acima anotadas em um pedaço de papel. Escreva também todas as suas dúvidas, para esclarecê-las no momento da consulta.

O diagnóstico da doença

Estas perguntas são fundamentais para auxiliar o diagnóstico da doença, pois são elas que confirmarão ou descartarão a dermatite atópica.

Não é feito nenhum exame complementar ao clínico. O médico terá apenas as visões da inflamação de pele e as suas respostas como medida de investigação.

O tratamento das lesões da dermatite

Comprovado o diagnóstico de dermatite, inicia-se a fase de tratamento das lesões inflamatórias.

Normalmente ele é feito com medicamentos, especialmente anti-histamínicos administrados via oral. O uso destes remédios ameniza a coceira provocada pela dermatite atópica. Peça ao dermatologista um antialérgico que não cause sonolência excessiva, para não atrapalhar sua rotina de sono.

Para o tratamento também podem ser receitados cremes tópicos, que deverão ser colocados diretamente na pele lesionada (ou no couro cabeludo, se for o caso). Estes produtos comumente são feitos à base de cortisona ou esteroides. Se não surtirem efeito, pode-se fazer a troca por medicamentos orais.

A indicação de pomada, creme ou comprimido para a dermatite só poderá ser feita por um dermatologista, bem como a quantidade de produto que deverá ser ingerida e o tempo de duração do tratamento. Nunca se automedique contra a dermatite atópica.

Contribuições do paciente

Além de fazer uso correto da medicação prescrita pelo médico, o paciente também pode fazer contribuições para o tratamento. Elas visam o alívio dos sintomas e contribuirão para o sucesso da recuperação.

– Mantenha sua pele hidratada com óleos ou cremes hidratantes. Você também pode usar pomadas, como vaselina, ou loções. Use o produto de duas a três vezes ao dia. Para não agravar a doença, prefira formulações sem álcool, perfumes, fragrâncias, corantes ou substâncias químicas.

– Se preferir, adquira um umidificador de ambientes.

– Evite banhos muito quentes e demorados.

– Não utilize sabonete nas áreas lesionadas, substitua-os por loções de limpeza.

– Não coce a pele inflamada por dermatite atópica. Para aliviar a coceira, faça compressas frias.

– Mantenha suas unhas curtas. Para evitar coceiras noturnas, durma de luvas.

– Procure não usar roupas feitas com lã ou outros tecidos que possam irritar a pele. Prefira roupas de algodão e abandone os tecidos sintéticos. Use agasalhos fáceis de tirar em caso de esquentar a temperatura.

– Retire tapetes e cortinas dos ambientes onde você passa mais tempo. Use lençóis e fronhas no colchão e nos travesseiros, lavando estas roupas de cama semanalmente.

– Use luvas e botas para trabalhar no jardim. Esta precaução evita crises de dermatite atópica causadas pelo contato com algumas plantas.

– Passe filtro solar sempre, preferindo os tipos mais cremosos. Se usar piscina, a precaução está estendida inclusive para locais cobertos ou dias nublados. Isto evita a irritação provocada pelo cloro. Ao sair, tome um banho imediatamente e hidrate-se.

– Durante as crises, é importante reduzir ou até suspender as atividades físicas que provocam sudorese intensa.

– Retire imediatamente sapatos ou roupas molhadas, que podem agredir a pele e agravar a dermatite atópica.

– Evite o uso de sabonetes ou detergentes fortes, bem como de solventes e produtos químicos.

– Impeça, sempre que possível, mudanças súbitas de temperatura corporal, especialmente o suor. Ao suar, procure tomar um banho mais frio rápido, hidratando-se em seguida.

– Procure fugir de situações estressantes e casos que podem desencadear alergias respiratórias. Um hobby pode auxiliar nesta tarefa.

Cuidados durante o banho

Conforme mencionado acima, você deve ter percebido que o banho é uma situação que exige cuidado para o paciente de dermatite atópica. Porém, se forem tomadas estas precauções, a higiene poderá ser feita sem complicação alguma.

– O contato com a água deve acontecer somente durante o tempo necessário para a limpeza do corpo (máximo dez minutos), usando menos sabonete do que o costume. Neste período, prefira manter a temperatura da água o mais fria possível e se limpe com sabonete neutro.

– A pele não poderá ser esfregada durante nem após o banho. Buchas vegetais e produtos esfoliantes são expressamente proibidos. Seque-se suavemente com uma toalha macia.

– O uso de hidratantes é fundamentalmente recomendado após o banho. Eles devem ser aplicados com a pele ainda úmida, em até três minutos após o banho. Esta precaução auxilia na retenção de umidade, prevenindo o ressecamento das camadas de derme.

Olhando-se assim, são muitas precauções e cuidados que o paciente precisa ter para minimizar as crises. Porém, depois de um tempo estas medidas estarão gravadas na memória, especialmente quando a pessoa sabe que faz isto para o seu próprio bem. Desta forma, convive-se bem com a doença.

Complicações do tratamento incorreto

A dermatite atópica é uma doença que deve ser tratada com seriedade, seguindo as recomendações médicas à risca. Caso não aconteça desta forma, podem ocorrer complicações como:

– neurodermite (inflamações que se agravam em situações de estresse);

– infecções graves de pele;

– problemas de visão.

A dermatite tem cura?

Não, a dermatite atópica é uma doença que, quando bem tratada, apresenta desaparecimento das lesões. Nas crianças este problema tende a desaparecer a partir dos cinco anos de idade, mas pode retornar com frequência.

Já nos adultos é uma situação prolongada, comumente retornando ao longo da vida. Estas lesões normalmente afetam as pessoas no inverno, quando a pele está mais seca, os banhos são mais quentes e demorados e há uso de roupas de lã.

Prevenção da doença

Agora está a resposta para a pergunta que fizemos no início deste texto: É possível se prevenir contra este problema?

É difícil, já que normalmente as crises de dermatite atópica se manifestam por fatores genéticos, as alergias respiratórias. Porém, manter a pele bem hidratada, evitar contato com substâncias ou produtos irritantes e tomar banhos mais frios são alternativas que podem diminuir os riscos de se ter a doença.

Além disso, alguns especialistas sugerem que o consumo de leite de vaca e ovos pode desencadear a doença. Contudo, neste quesito nada está provado.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.