Estudo Neutrogena mostra que é necessário mais educação sobre câncer de pele

Um recente estudo patrocinado pela Neutrogena revelou que é necessária mais educação do consumidor sobre a prevenção do câncer de pele em conjunto com mais informações sobre cuidados com a pele.

A pesquisa nacional, encomendada pela Neutrogena e realizada pela Harris Interactive, mostrou que apenas 13% de todas as mulheres nos EUA usam protetor solar diariamente e 56% das mulheres entrevistadas acreditam que a taxa de crescimento de câncer de pele é devido à falta de educação.

“Há muitos equívocos sobre quem pode ter câncer de pele e como se tem câncer de pele”, diz o dermatologista Darrell Rigel, MD. “O fato de que o melanoma é o câncer que mais pode ser prevenido e mesmo assim continua em ascensão, mostra que mais educação é necessária.”

Um em cada cinco americanos desenvolverá câncer de pele alguma vez na vida, de acordo com a Sociedade Americana de Dermatologia Cirúrgica. No entanto, o estudo de Neutrogena revelou que 76% das mulheres brancas e 63% das mulheres hispânicas usam protetor solar para se proteger do câncer de pele. Em comparação, menos da metade, ou 46%, das mulheres afro-americanas usam protetor solar.

A crença comum é que os tons de pele mais escuros oferecem uma barreira natural contra os raios nocivos do sol e o estudo Neutrogena revela que esses mitos muitas vezes podem levar a um comportamento negligente e perigoso quanto à segurança do sol. Enquanto 76% das mulheres acreditam que o uso diário de protetor solar é importante para ajudar a prevenir o câncer de pele, a mulher adulta não começar a usar até chegar aos 30 anos de idade, muito depois que danos significativos da pele já foram feitos.

A pesquisa mostrou que apenas 13% das mulheres americanas usam protetor solar diariamente.

A Neutrogena e Dr. Rigel tentam educar as mulheres através de uma campanha focada em como desconstruir mitos comuns de câncer de pele, tais como:

Mito 1: “Não estou em risco de contrair câncer de pele da exposição ao sol, porque a minha rotina (trabalho, dirigir para o trabalho, lazer e férias) não incluem quaisquer atividades ao ar livre”

No entanto, os dermatologistas dizem que breves exposições ao sol ao longo do ano podem trazer danos significativos para todos, especialmente aqueles com pele clara.

Mito 2: “Protetor solar fator 30 é toda a proteção que eu preciso; outros fatores são a mesma coisa”.

Mas o médico diz que se você não aplicar protetor solar ou aplicar o seu protetor solar incorretamente com quantidade menor do que deveria, pode resultar em um fator mais baixo do que o nível de proteção identificado no rótulo. Protetores solares com fatores mais altos também fornecem proteção adicional à queimadura solar em condições extremas de UV. Para aqueles que podem estar propensos a aplicação de quantidades insuficientes de protetor solar, procure um fator 50 ou superior com tecnologia Helioplex.

Mito 3: “Uma ferida irritante ou mancha que não vai embora, não é nada para se preocupar”.

Mas os especialistas dizem que, por vezes, uma ferida irritante que não vai embora, ou uma mancha que mudou no tamanho ou cor, é realmente algo mais grave e, possivelmente, uma forma precoce de câncer de pele. Uma seleção anual de câncer de pele é necessária para identificar o câncer em seus estágios iniciais. Neutrogena e o ASDS estimulam as pessoas a levar a saúde da pele a sério e se inscrever para uma exibição gratuita de câncer de pele com um dermatologista em seu bairro no site www.chooseskinhealth.com.

Mito 4: “Sessões de bronzeamento são mais seguras do que a exposição aos raios solares UV.”

No entanto, a pesquisa revelou que a exposição à luz ultravioleta nas sessões de bronzeamento podem ter impacto na sua pele de várias formas, incluindo rugas, manchas de sol e sardas. Neutrogena recomenda o uso de produtos de bronzeamento artificial para um bronzeado sem danificar a pele.

Mito 5: “Homens e mulheres de pele escura não estão em risco de danos causados ​​pelo sol e câncer de pele.”

Embora as mulheres com pele naturalmente escura têm um risco muito menor de câncer de pele do que aqueles que são mais claras, isso não as torna imunes ao câncer de pele, o estudo adverte. Casos de câncer de pele em pessoas com pele mais escura, muitas vezes não são detectados até estágios mais avançados, quando é mais perigoso e difícil de reverter. A taxa de sobrevivência geral para os afro-americanos é de apenas 77% contra 91% para os brancos.

Mito 6: “O Verão está quase no fim e o sol não está tão forte, eu não preciso usar protetor solar todos os dias.”

No entanto, especialistas advertem que os raios nocivos do sol são tão intensos durante as estações mais frias quanto durante o verão. Na verdade, mesmo quando coberto por nuvens, é possível que o sol prejudique a sua pele e os olhos, por isso é importante se proteger com filtro solar, óculos de sol e roupas de proteção, mesmo em tempo nublado.

Mito 7: “Só a radiação UVB pode causar danos à pele.”

O fato é que os raios UVA e UVB causam queimaduras solares e efeitos prejudiciais, tais como câncer de pele. Os raios UVB são responsáveis ​​por 80% dos danos do sol e UVA são responsáveis por 20%, de modo que a Neutrogena recomenda que os consumidores optem por um protetor solar que proteja contra ambos, embora nem todas as marcas de filtros solares sejam igualmente eficazes, diz a empresa. Para a melhor proteção solar, procure protetores solares com pelo com no mínimo fator 30, especialmente aqueles com tecnologia de filtro solar como Helioplex que são formulados com o equilíbrio ideal de filtros UVA e UVB.

Mito 8: “Os adolescentes e jovens não têm de se preocupar com o câncer de pele. Ela afeta apenas os adultos e idiosos. “

Mas estudos têm mostrado que o melanoma é a forma mais comum de câncer em adultos jovens de 25 a 29 anos de idade. Ele também está aumentando mais rapidamente em mulheres na faixa etária dos 15 aos 29 anos de idade quando comparado aos homens da mesma faixa etária.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.