Melasma – Aprenda mais

Melasma é uma condição que se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele, mais comumente na face, mas também pode ser de ocorrência extrafacial, com acometimento dos braços, pescoço e colo. Afeta mais frequentemente as mulheres, podendo ser vista também em homens. Continue sua leitura para aprender mais sobre os diversos tipos, as causas e o tratamento destas manchas.

Tipos de Melasma

melasma

Os tipos de melasma são classificados de acordo com a zona afetada e de acordo com a profundidade da mancha:

  • Melanoma epidérmico: quando a mancha surge na camada mais superficial da pele, ou seja, na epiderme;
  • Melanoma dérmico: quando a mancha surge em uma camada mais profunda, na derme, o que torna o tratamento mais difícil;
  • Melanoma misto: quando há surgimento de manchas em ambas as camadas da pele, epiderme e derme.

Quanto às áreas afetadas, há os tipos: malar, centrofacial e mandibular, são respectivamente: na maçã do rosto, na zona T (testa, nariz, queixo, buço) e na parte inferior das bochechas.

Causas

O que causa o melasma ainda não está claro.

A principal causa que é associada ao surgimento do melasma é a exposição à luz, seja a luz solar como a luz artificial muito intensa e prolongada. A radiação ultravioleta estimula os melanócitos a produzirem mais melanina. Além disso, outros fatores podem estar associados, como predisposição genética, uso de medicamentos, anticoncepcionais, alterações hormonais (por exemplo: gravidez, doenças endócrinas).

Se você usa produtos para cuidados com a pele, e nota que um produto irrita sua pele, o melasma pode piorar.

Mas porque há pessoas que desenvolvem e outras que não desenvolvem as manchas? Há fatores de risco que explicam porque algumas pessoas têm mais chance de desenvolver o melasma.

Ser mulher é um fator predisponente, devido ao fator hormonal feminino, ter o tom de pele mais escuro também torna a pessoa mais suscetível, por apresentar maior capacidade de produção dos melanócitos.

Tratamento

melasma gravidez

O melhor tratamento para o melasma é a prevenção, portanto, o uso de filtro solar é essencial e indispensável, inclusive para quem trabalha em locais fechados, mas com forte incidência de luz artificial, no verão o cuidado deve ser redobrado, sempre realizando a reaplicação do filtro solar durante o dia. Recomenda-se protetores com FPS (fator de proteção solar) de pelo menos 30 e que contenham bloqueadores de UV (utravioleta).

É muito importante procurar um dermatologista para fazer exames necessários, a fim de excluir outras possibilidades etiológicas das manchas, pois nem toda mancha escura na pele é melasma, pode inclusive indicar uma neoplasia.

 Após o diagnóstico, o tratamento específico para eliminar as manchas pode incluir procedimentos como:

  • Uso de medicamentos tópicos, como cremes à base de ácido glicólico;
  • Uso de medicamentos orais;
  • Peeling;
  • Tratamentos com laser;
  • Aplicação ou administração oral de vitaminas;
  • Interrupção da exposição solar intensa.

É importante alertar que durante o tratamento de melasma, o cuidado com a radiação ultravioleta deve ser redobrado, evitando ir a praias, clubes e parques durante o período de tratamento, utilizar sombrinha ou sombreiro, chapéu ou boné também podem ajudar como proteção física contra a luz.

Consulte um dermatologista, buscando certificar-se da causa das manchas, bem como identificar o tipo de melasma, isto aumenta a eficácia do tratamento.

Existe várias formas de tratar o melasma, como o uso de clareadores, peeling, laser, mas independente do tratamento, o uso contínuo de protetores solares é necessário. O fator de proteção (FPS) de no mínimo 30 é o mais recomendável.

O uso de clareadores é indicado para a remoção de manchas e os resultados aparecem após dois meses de uso. Os cremes clareadores são compostos de ácidos dentre os quais o glicólico, retinóico e azeláico. Outra substância presente nos clareadores é a Hidroquinona. Durante o tratamento não é recomendável a exposição aos raios solares, para que os sintomas na retornem.

O tratamento com peeling é mais rápido do que os cremes clareadores, mas demanda um médico experiente pois o procedimento exige cuidados. Somente o dermatologista pode avaliar se o procedimento exige um peeling superficial ou mais profundo. Mesmo após o peeling o uso de clareadores faz necessário.

Atualmente o tratamento a laser é mais uma opção utilizada para a remoção do melasma. Seus resultados tem-se mostrado muito satisfatórios, ainda que seja necessário um excelente profissional para o seu procedimento. Existem vários tipos de tecnologias para a aplicação do laser e só o profissional especializado pode estabelecer o melhor procedimento. Lembrando que quanto mais superficial, mais seguro o método.

Os medicamentos mais recomendados para a cura do melasma são a fluocinolona acetonida, hidroquinona e a tretinoína. O dermatologista é quem pode estabelecer com precisão qual a dosagem e tempo de duração do tratamento. Compostos à base de grãos de trigo, cevada e centeio contém ácido azeláico e agem na despigmentação da pele, contribuindo também para o desaparecimento de manchas do melasma.

Este composto é muito utilizado em tratamentos dermatológicos mas somente o dermatologista poderá prescrever a dosagem ideal para cada paciente.

Não há a cura definitiva para o melasma e um tratamento contínuo é necessário para o controle do mesmo, sob a orientação de seu médico dermatologista.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.