Hiperplasia Sebácea – Saiba mais sobre essa doença de pele

A hiperplasia sebácea é uma condição benigna e comum, ocorrendo quando existe um aumento das glândulas sebáceas. As lesões podem ser únicas ou múltiplas e se manifestam como pápulas amareladas, macias e pequenas no rosto (particularmente nariz, bochechas e testa).

Normalmente ela aparece em adultos de pele clara e nas pessoas que possuem pele oleosa. Existem alguns casos onde as lesões são isoladas, porém, pode ocorrer em grande número.

Esta doença de pele é uma alteração benigna, no entanto, pode caracterizar um problema cosmético.

 

Hiperplasia Sebácea: Sintomas

foto hiperplasia sebacea

Normalmente existe o aparecimento de bolas amareladas, com 2-5 mm de diâmetro. Elas são macias e superficiais, além de ter coloração amarelada, rosada ou cor da pele.

 

 

É comum aparecer no rosto, testa nariz e bochechas, porém, pode surgir no tórax e o pescoço.

 

Acometem a pele da face sendo mais frequente nos pacientes idosos e homens, porém, os jovens também podem apresentar.

A hiperplasia sebácea pode aparecer isoladamente, e em raros casos pode ser confundida com carcinoma basocelular. Portanto, caso existe dúvida é fundamental marcar uma consulta com o seu dermatologista. O diagnóstico é realizado através do exame clínico.

 

Causas de hiperplasia sebácea

Existem vários fatores que contribuem para a hiperplasia sebácea. O maior é uma diminuição nos hormônios andrógenos. Os hormônios andrógenos desempenham um grande papel no funcionamento interno de nossas glândulas sebáceas.

Andrógenos (especificamente testosterona) estimulam as glândulas sebáceas para criar mais petróleo. Quando há um aumento nos andrógenos, há também um aumento na atividade das glândulas sebáceas. Durante a puberdade, há um enorme aumento nos andrógenos. É por isso que a sua pele é tipicamente muito mais oleosa durante a adolescência do que em outras épocas da sua vida. Também explica porque a acne aumenta durante a puberdade; há um aumento semelhante nos andrógenos.

À medida que envelhecemos, os hormônios andrógenos diminuem. Isso diminui a atividade das glândulas sebáceas. E não é apenas a produção de petróleo. A taxa natural de renovação celular dentro das glândulas sebáceas também diminui. As células voltam para dentro da glândula, causando essa superabundância e ampliação da glândula que foi mencionada anteriormente.

Parece também haver um elo genético. Se alguém da sua família tem hiperplasia sebácea, você também está mais propenso a desenvolvê-la, porque é hereditária (mas não contagiosa).

O consenso é que a exposição ao sol também desempenha um papel – mais uma razão para usar seu filtro solar diariamente e dizer não ao bronzeamento.

 

Hiperplasia Sebácea: Como se apresentam

Estes nódulos, ou “bolinhas”, geralmente tem de 2 a 5 milímetros de diâmetro, e com cor amarela ou castanha, além de ter uma depressão no centro.

Ela pode aparecer nas pessoas de ambos os sexos, na idade adulta. Entretanto, pode surgir em qualquer raça e fica localizada no rosto, nariz, queixo ou bochechas.

Essas glândulas podem ter um aumento de tamanho ou dilatação o que constitui a hiperplasia da glândula sebácea. Existem casos na qual elas ficam visíveis e tornam-se incomodas do ponto de vista estético.

 

 

Hiperplasia Sebácea: Tratamento

Ela é comum na idade madura e o tratamento é feito por razões de ordem estéticas. Neste caso é possível empregar eletrocoagulação superficial e, também, ácido tricloroacético a 70%, exigindo-se múltiplas aplicações.

Além disso, pode ser empregado o nitrogênio líquido, assim como, a isotretinoína em baixas doses, mas ocorrem recidivas quando tem a interrupção da medicação.

Já o laser CO2 fracionado nos traz benefício no tratamento com uma sessão se elimina a doença.

O tratamento é feito com finalidades estéticas, e essas lesões são totalmente benignas. Os mais comuns incluem:

 


Eletrocoagulação

Ele é feito para queimar as lesões e destruir as glândulas aumentadas de tamanho.

 

Isotretinoína

Este tratamento pode reduzir o número das lesões, no entanto, se ocorre à descontinuação do tratamento, pode tornar recidiva.

 

Laser de CO2 e Laser Erbium

Estes tratamentos também queimam a lesão e elimina, além disso, são precisos por não atingir a pele.

 

Outros

Os processos como excisão, crioterapia, cauterização química e shaving também pode funcionar, mais pode causar um risco maior de manchas e cicatrizes residuais.

 

É importante saber que nenhum tratamento cura a hiperplasia sebácea, eles apenas controlam a condição. É provável que volte ao longo do tempo, mesmo depois de ter tratado.

 


Hiperplasia Sebácea: Prevenção

Para prevenir a hiperplasia sebácea a terapia fotodinâmica possui capacidade de reduzir a secreção de glândulas sebáceas e minimizar a progressão da doença. Já a isotretinoína oral também pode ter efeitos positivos na prevenção contra novas lesões.

Em todo caso se você possui qualquer outra dúvida, recomendado é consultar um dermatologista.

1 Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.